Bolsonaro é o 3º grande líder global graças aos petralhas

 19.02.2020: 04:38 PM      438
Compartilhar é curtir... lembrar... cuidar... gostar...

Muitos europeus anseiam por um presidente tipo Bolsonaro pois não aguentam mais o discurso pegajoso e politicamente correto das lideranças esquerdopatas.

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, desponta como a terceira liderança mundial mais popular da atualidade. Seu nome corre o mundo via redes sociais ao lado do primeiro-ministro da Índia, Marendra Modi, primeiro colocado devido a 1,3 bilhão de indianos, e do segundo colocado presidente Donald Trump, dos EUA, a maior potencia global de todos os tempos. 

O ditador chinês Xi Jinping, mesmo estando num país com a maior população (1,7 bilhão), não aparece na lista por não possuir contas nas mídias sociais, pelo menos as do Ocidente, o mesmo acontecendo com o ditador russo Vladimir Putin. Coisas do Comunismo.

Autêntico OUTSIDER, liderança emergente dissociada das convenções politico-partidárias tradicionais, Bolsonaro (sem partido) vem ganhando visibilidade mundo afora pelas redes sociais, justamente por suas reações polêmicas aos ataques da extrema-mídia esquerdista e suas narrativas politicamente corretas.

 

 

Vítima de facada desferida por militante do PSOL em plena campanha eleitoral, Bolsonaro segue governando democraticamente, sem ódio e sem ressentimentos. Sempre dando gargalhadas e tirando uma com a cara de jornalistas esquerdistas ao dar respostas sarcásticas às pegadinhas e cascas de banana lançadas no "quebra-queixo", apelido do espaço na entrada do Palácio do Planalto onde o presidente cumprimenta populares e troca afagos com jornalistas.

Por exemplo: no final da campanha eleitoral de 2018 a jornalista Patrícia Toledo de Campos Mello, uma petralha assumida da Folha de S. Paulo cujo pai está implicado no Petrolão, produziu uma FAKE NEWS para tentar impugnar candidatura de Bolsonaro. O falso FURO da jornalista afirmava que empresários como Luciano Hang, da Havan, gastaram fortunas em campanhas de impulsionamento do nome Bolsonaro nas redes sociais. Isto num momento em que o presidenciável estava se convalescendo de cirurgia e sem poder fazer sua campanha, a mais barata que já se viu na história das eleições presidenciais - custou pouco mais de R$ 1 milhão.

Para provar sua  denúncia para não se enquadrar em crime de CALÚNIA e DIFAMAÇÃO, a jornalista petralha tentou corromper e até seduzir um publicitário para que ele mentisse e implicasse o presidente em crime eleitoral. Ocorre que esta vítima da esquerdista desvairada negou participar da trama e denunciou fato à Justiça.

 

 Em depoimento no ministério público, ainda em 2018, o publicitário já havia dito que foi assessiado sexualmente para mentir contra Bolsonaro.

Ao ser questionado sobre o que achava das declarações da publicitário de que a jornalista mentiu e se insinuou sexualmente para que participasse da fraude que implicaria o então futuro presidente em crime eleitoral, Bolsonaro simplesmente declarou: ELA QUIS DAR O TAL DE FURO JORNALÍSTICO E DEU MAL.

Uma declaração perfeita, à altura da trama criminosa que o transformaria VÍTIMA e lhe tiraria o mandato.  Embora ocupando o mais alto posto da nação, o presidente do Brasil demonstrou como sua resposta relativizar a ação ilegal, imoral, mau-caráter da criminosa. Mas para um bom comunista PERDOAR SEUS CRIMES não é o baste. Ele tem que inverter os fatos, posar de COITADO e transformar a VERDADEIRA VÍTIMA em BANDIDO.

Vendo que seu FURO melou, restou à ativista inverter os papeis e dar outra vez, outro FURO. Se fazendo de vítima de feminicídio, apelou para o apoio dos COLETIVOS DO PARTIDO e o ESPÍRITO DE PORCO da extrema-mídia, corporações decadentes e totalmente aparelhada por marxistas do PT, PCdoB, PTB, PSOL, PDT, PSB, PSTU, PSDB e por aí vai.

 

 

Até o "alma viva mais honesta" condenado a mais de 20 anos de prisão por ROUBO, OCULTAÇÃO DE BENS, LAVAGEM DE DINHEIRO e MEMBRO DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA aproveitou a ocasião para tirar uma casquina: "Bolsonaro precisa ter boas maneiras", disse fingindo indignação em defesa da etiqueta. 

Vejam só onde chegamos. O mundo todo vibra com esta comédia pastelão que, de certa forma, também se repete em seus países sem ninguém a altura de Bolsonaro para o papel de protagonista. Pior, apareceu até jurista caído do caminhão do PT com pedido de impeachment prontinho para ser protocolado no Senado.

A verdade é que o mundo dá rizada da BESTIALIDADE destes esquerdopatas e suas manobras criminosas para derrubar Bolsonaro, voltar ao poder e seguir saqueando o erário. Algumas vezes até conseguem, como aconteceu na Argentina onde os bolivarianos se aproveitaram da leniência de Macri e retomar a destruição da Casa Rosada.

__ Só um Bolsonaro para salvar a Argentina, disse um hermano desencantado com os rumos do país.
__ Seria muito bom ter um Bolsonaro para resolver os problemas da Espanha, completou um espanhol ligado nos memes do presidente brasileiro nas redes sociais
__ Todos querem ter um Bolsonaro no governo dos seus países, conclui brasileiro orgulhoso residente na Espanha.

O depoimento em vídeo acima de um brasileiro residente na Espanha comprova que Jair Bolsonaro é uma das lideranças mais reconhecidas e festejadas hoje no mundo, justamente pelo seu combate destemido do ranço politicamente correto dos esquerdopatas. Em alguns continentes violentados pelo comunismo como a Europa, Oriental e Ocidental, todos anseiam por um presidente com suas qualidades, pois não aguentam mais o discurso pegajoso dos políticos esquerdopatas.

Bolsonaro desponta então como a personalização do pensamento liberal-conservador do Terceiro Mundo, uma condição incomum dada a importância econômica dos países periféricos. Temos que admitir, grande parte de todo este prestígio foi criado pelos petralhas com seus ataques covardes propagandeados pela mídia esquerdista, nacional e internacional, exatamente como constatado pelo brasileiro-espanhol do vídeo.

  • Confira a lista das principais lideranças mundiias nas redes sociais, segundo estudo da consultoria Quaest.

    1. Narendra Modi – 63.25

    2.Donald Trump – 62.27

    3. Jair Bolsonaro – 52.75

    4. Recep Tayyip Erdogan – 44.65

    5. Cristina Kirchner – 32.48

    6. Luis Lacalle Pou – 27.2

    7. Alberto Fernández – 19.67

    8. Matteo Salvini – 19.35

    9. Evo Morales – 18.75

    10. Emmanuel Macron – 18.37

O estudo acima leva em conta quarenta fatores, que podem ser resumidos em cinco grupos: a quantidade de perfis ativos nas redes; o número de seguidores; o engajamento gerado com as postagens; os compartilhamentos e a valência, isto é, a proporção de reações positivas às negativas. O algoritmo leva em consideração a população do país, mas faz cálculos per capita nas métricas qualitativas.

 

avatar Avelar Livio Santos
Jornalista e consultor de internet
 |   |   |   |   |   | 

 

 

 19.02.2020: 04:38 PM      438 brasil india eua marendra trump bolsonaro

Comentários (0)

Olá, deixe seu comentário...

Topo