Bolsonaro descarta esvaziamento de ministério de Moro

 24.01.2020: 11:39 AM      295
Compartilhar é curtir... lembrar... cuidar... gostar...
Clique para ampliar foto: Alan Santos/PR

Moro mostrou competência na condução do ministério da Justiça e Segurança Pública e isso tem gerado inveja e ciúme, no governo e na oposição. 

O presidente Jair Bolsonaro descartou estudo que ele próprio anunciou para recriação do Ministério de Segurança Pública, hoje incorporado ao Ministério da Justiça comandado por Sérgio Moro. Esse estudo de uma possível mudança foi anunciado pelo próprio Bolsonaro após reuniões com secretários de segurança de 16 estados.

O esvaziamento do ministério de Sérgio Moro repercutiu muito mal junto a apoiadores do governo pois foi percebido como uma capitulação do presidente às intrigas da oposição infladas pela própria mídia esquerdista interessada em atrapalhar o governo. Petralhas e tucanos vêm plantando intrigas entre Bolsonaro e Moro a fim de desestabilizar a relação destes e abrir um fissura administrativa no governo.

Na Índia, em missão oficial, o presidente descartou a anunciada mudança. "Lógico que está descartado. Nem precisava responder. A chance no momento é zero. Está bom ou não? Está bom, né? Não sei amanhã. Na política, tudo muda, mas não há essa intenção de dividir. Não há essa intenção."

Na verdade Bolsonaro não havia anunciado o esvaziamento do superministério de Moro, mas apenas aventado a possibilidade de um "estudo" neste sentido. Porém, sua firmeza ao descartar a infeliz ideia, reforça uma de suas virtudes como presidente: desapego ao erro.

De fato, nunca na história do Brasil a segurança pública mostrou resultados tão positivos como neste ano que passou, sob o comando de Moro. Os números falam por si: todos os índices de violências caíram horizontal e verticalmente em cerca de 30%. Mexer nisso agora é muito estrano, ainda mais quando assistimos a mídia semeando intrigas e ciúmes entre Bolsonaro e Moro, inclusive colocando este último como presidenciável em 2022, mesmo este negando repetidamente.

O assunto foi destaque no programa Os Pingos nos Is da Jovem Pan
O assunto foi destaque no programa Os Pingos nos Is da Jovem Pan


Esta guerra de vaidades foi muito bem explorada pela bancada de jornalistas socialistas na entrevista que Sérgio Moro concedeu segunda-feira (20/01/2010) ao programa Roda Viva da TV Cultura de São Paulo. Passaram pano no desempenho de Moro no Governo e o colocaram como presidenciável só assanhar sua vaidade e confrontá-lo com o presidente gerando assim um conflito de interesses.

Na terça-feira, um dia após o programa, Bolsonaro saiu de uma reunião com secretários de segurança pública estaduais anunciando apoiar "estudo de desdobramento do superministério da Justiça". Detalhe: Moro não estava presente nesta reunião que discutia justamente a diminuição da sua área de competência.

Muito estranho o presidente se deixar levar por intrigas e interesses contrários aos resultados obtidos pelo próprio governo. Relmente ele foi afetado pelo jogo de intrigas da oposição mostrando que não é tão esperto como pareceu ao montar sua equipe de governo de forma técnica.

Louvável, no entando, sua decisão anunciada de descartar este estranho estudo. Não é a primeira vez que o presidente volta atrás em decisões apressadas e totalmente erradas. Isso é bom! Todos nós cometemos erros, mas poucos têm a grandeza de reconhecer suas limitações e voltar atrás.

"O Brasil está indo muito bem. Segurança pública, os números indicam que está indo no caminho certo, e a minha máxima é: em time que está ganhando não se mexe." reforçou o presidente desde a índia segundo o site O Antagonista. De qualquer forma, a mídia esquerdista ficou animada com a vascilada do presidente. Petralhas e Tucanos perceberam que levantar a bola da candidatura de Moro, que eles xigam de "juiz ladrão", é um bom caminho para desestabilizar o governo.

 

O resumo da ópera: foi o próprio Bolsonaro quem anunciou estudos para mudanças no minisitério da Justiça e Segurança Pública, cumprindo exatamente o roteiro criado pela mídia esquerdista. Desde o ínicio do governo esta vem tentando atritar o ministro com o presidente. Então, não tem essa de que é tudo é uma armação da mídia esquerdista. A gente torce para que o governo dê certo, e não aceita ver o presidene colaborando com o plano da esquerda de desestabilizar o próprio governo mexendo num dos ministérios que realmente vem dando certo.

 

avatar Avelar Livio Santos
Jornalista e consultor de internet
 |   |   |   |   |   | 

 

 

 24.01.2020: 11:39 AM      295

Comentários (0)

Olá, deixe seu comentário...

Topo